Colégio Nossa Senhora da Piedade

Alunos narram histórias de romance infanto-juvenil para aprenderem Matemática

Para muitos, ela é o bicho-papão em pessoa, ou, no mínimo, algum parente ou chegado próximo: a famigerada Matemática. Salvo aqueles que tem talento inato para a coisa, a  matéria aterroriza muitos estudantes. Mas o “monstro” não é tão feio quanto parece, ou melhor, tem sua beleza e magia. 

No colégio Piedade BH, os professores usaram a criatividade para desmitificar e mostrar todo o encanto que a matéria  tem. As ferramentas?  Literatura e teatro. 

No romance infanto-juvenil “O homem que calculava”,  Malba Tahan, pseudônimo do professor matemático carioca Júlio Cesar de Mello e Sousa, o autor usa a fantasia e o encantamento das lendas árabes para  narrar as aventuras e proezas matemáticas do calculista persa Beremiz Samir na Bagdá do século XIII. A narrativa, dentro da paisagem do mundo islâmico medieval, trata das peripécias matemáticas do protagonista, que resolve e explica, de modo extraordinário, diversos problemas, quebra-cabeças e curiosidades da matemática.

A partir daí, os alunos do 9º ano encenaram uma das aventuras de Beremiz Samir durante suas viagens;  o desafio de dividir 35 camelos entre 3 herdeiros. De forma divertida e explicativa, a apresentação contou com a participação dos alunos de outras séries.

Confira as fotos do teatro e também o vídeo completo da apresentação em nossas redes sociais.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *